quarta-feira, 31 de março de 2010

Como aterrorizar bifes

Muito bom:


"A melhor forma de aterrorizar bifes acerca da língua portuguesa (e românicas em geral, mas não vão por aí...) é salientar que na nossa língua tudo, tudo, tem um género (feminino ou masculino) que TEM de ser memorizado e respeitado.


Depois ilustra-se, descrevendo de enfiada o género dos objectos em redor e, sobretudo, das diferentes partes e componentes desses objectos.


Por exemplo: "The ceiling above us and the floor beneath are masculine, but the walls around are feminine unless they separate properties, in which case they're masculine, but only if they're solid: otherwise, they're feminine (vedação). This table is feminine but it's feet are masculine, the spoon and the knife are feminine but the fork is masculine, so is the dish. Meat is feminine, the nerves are masculine but the fat is feminine. Fish is masculine but fish bones are feminine. Some fish are masculine (pargo), including the females, others are feminine (sardinha), including the males. It depends. It's really easy." Os gajos ficam brancos.


Outro, destinado a tornar-se um clássico: "The tocacco inside this cigarette is masculine although the leaf it came from was feminine. The paper involving it is masculine. The tip is feminine, but the filter inside it is masculine, though its fibre is feminine. The ash is feminine but the ashtray is masculine. Either lit or unlit, the cigarette itself is masculine until you put it out: then it becomes feminine."


Outro: "You know how some english speakers refer to their cars as 'she'? That is totally foreign to a Portuguese speaker. Cars are masculine and there´s no two ways about it. And by the way, referring to any object whatsoever as if it was a male (ele) or a female (ela), is totally out of the question. Cars are masculine but they're never male or female, because that would be crazy. Some cars, of course, although they're masculine (because they are cars), are referred to as feminine (carrinha) but that doesn't detract from their masculinity. Of course, car wheels are feminine, tires are masculine, windows are feminine, glass is masculine, gas is feminine, oil is masculine, roads are feminine, tar is masculine, etc. But cars are masculine, even when they're referred to as feminine. So make sure you get that right.""

Retirado daqui.

Nas colunas

segunda-feira, 29 de março de 2010

Joana Vasconcelos no CCB

"Sem rede" é a exposição antológica da artista plástica Joana Vasconcelos, em exibição no Museu Colecção Berardo/CCB até 18 de Maio.

Peças e experiências a registar:

Strangers in the Night, ouvir Frank Sinatra num sofá luminoso


Cinderela, com tachos e panelas


Corações Independentes: ao som da voz de Amália, 3 grandes corações de Viana feitos de talheres de plástico, que replicam a técnica da filigrana


Terminar com um belo passeio pelo Jardim do Éden

Shutter Island


Gostei bastante! É certo que a viagem constante entre a lucidez e a insanidade não é uma receita inovadora ou surpreendente mas neste filme resultou muito bem. O argumento está bem desenvolvido e parece beber um pouco da sua inspiração ao universo hitchcockiano. O final é sem dúvida o momento mais marcante. Um excelente trabalho de Martin Scorsese, a não perder!

Palavras para quê?



domingo, 28 de março de 2010

Miúdos histéricos com o DVD do "Lua Nova"...

Quase tão mau como meter no mesmo saco o "Harry Potter" e o "Senhor dos Anéis". Vampiros vegetarianos? Que andam à luz do dia? Vejam mas é filmes de vampiros a sério e ganhem juízo, porra!


 


segunda-feira, 22 de março de 2010

Mas será que estamos a falar do mesmo jogo?

Atitude merecia mais

O FC Porto chegou ao Algarve com os argumentos reduzidos pelos infortúnios recentes e que culminaram com a grave lesão de Varela no derradeiro ensaio para a final da Taça da Liga. O Dragão, apesar disso, entrou decidido a esquecer todas as feridas e a discutir com a bravura de um Tetracampeão. Um remate feliz logo aos nove minutos e outro à beira do intervalo de uma partida que seguia repartida, contudo, cavaram uma diferença difícil de superar.

O primeiro lance de golo saiu do pé esquerdo de Rodríguez, que rematou já no interior da área para defesa aparatosa de Quim. Essa jogada, de resto, nascia de um desenho consistente do FC Porto, que procurava posicionar-se onde mais gosta, ou seja, no meio-campo adversário.

Na resposta, porém, o adversário inaugurou o marcador, sem que a sua produção o justificasse e sem que a grande área azul e branca tivesse sequer sido pisada. Era um forte revés, que se juntava ao infortúnio clínico e que se tornava absolutamente desproporcionado pouco depois, quando o guarda-redes salvou mais uma bola a caminho da baliza e Rodríguez ficou a escassos milímetros de cabecear para as redes.

E quando era ao FC Porto que pertenciam as despesas e os principais «empurrões» no encontro, eis que o score surge alargado, em novo disparo bafejado pela sorte. Epílogo antecipado? Para a maioria das equipas, talvez. Para o Dragão, nem por isso. Na segunda parte, a formação de Jesualdo Ferreira voltou a fazer tudo para explanar o seu futebol, revelando uma atitude competitiva de sublinhar, mas não sendo capaz de confirmar aquilo que o pé esquerdo e a acrobacia de Rodríguez prometeram logo ao minuto 46. A atitude merecia mais.

Só podia vir daqui...

Desde pequenino

domingo, 21 de março de 2010

Alice in Wonderland

Vale a pena ver este filme...pela recriação 'burtonesca' do clássico, pela magnífica Helena Bonham Carter no papel de Rainha Vermelha e por este delicioso futterwacken dançado pelo Johnny Depp ;)

O título dos jornais desportivos podia ser este...

"Benfica vence jogo-treino no Algarve, em fim-de-semana de folga na Liga Sagres"

Mas foi mais este, este ou este...

sexta-feira, 19 de março de 2010

A 3D Exploration of Picasso's Guernica

ONGD portuguesa promove o acesso a água para 22.000 pessoas na segunda capital da Guiné-Bissau

No Dia Mundial da Água, 22 de Março, o programa Engenheiros Sem fronteiras da TESE (ONGD), lança o o Projecto Bafatá Misti Iagu que irá assegurar o abastecimento e gestão de água à cidade de Bafatá, alargar o acesso a fonte de água potável dos actuais 20% para 70% da população total.

Esta intervenção terá como Principais Resultados:

  • Cerca de 15.000 novos beneficiários com acesso a fonte de água segura através de chafariz ou ligação domiciliária.
  • Assegurar a distribuição de água 7 dias por semana, contrariamente à situação actual - 2 vezes por semana.
  • Contribuir para a melhoria da situação de vida e o cumprimento dos seguintes Objectivos de Desenvolvimento do Milénio: (1) Erradicação da pobreza extrema e fome; (4) Reduzir a mortalidade infantil e (7) Garantir a sustentabilidade ambiental, na Guiné-Bissau.

Veja o vídeo em:

Misti Iagu from TESE - Assoc. p/ Desenvolvimento on Vimeo.

Bruxelas ameaça levar Portugal a tribunal devido a poluição atmosférica

In Público

A Comissão Europeia enviou hoje uma última advertência escrita a Portugal por incumprimento das normas da União Europeia de qualidade do ar em relação a partículas de suspensão perigosas, após o que recorrerá para o Tribunal de Justiça europeu.
Em Janeiro de 2009, Bruxelas iniciou processos de infracção contra dez países, entre os quais Portugal, na sequência da entrada em vigor, em Junho de 2008, de uma nova lei comunitária que permite aos Estados-membros solicitar, em determinadas condições e em relação a determinadas partes do país, um prazo suplementar limitado para respeitar a norma aplicável, desde 2005, para as partículas em suspensão perigosas, as chamadas PM10.


Bruxelas pediu então explicações aos países que não respeitam os valores limite, em vigor desde 1 de Janeiro de 2005, relativos às partículas “PM10” e que não notificaram pedidos de prazos suplementares para cumprir as normas em todas as zonas de qualidade do ar em que os valores limite são excedidos.


A Comissão indica hoje que, na sequência dessa primeira advertência, foram arquivados os processos contra metade desses Estados-membros, prosseguindo acções contra cinco: Eslovénia e Suécia são levadas a tribunal (por os seus casos serem mais antigos), e é lançada uma advertência final a Portugal, Chipre e Espanha.


“Embora Chipre, Portugal e Espanha tenham notificado pedidos de prorrogação do prazo, a Comissão recusou a maior parte das zonas de qualidade do ar notificadas na medida em que não cumprem todas as condições impostas pela directiva”, explica a Comissão.


As partículas em suspensão perigosas, emitidas essencialmente pela indústria, pelo trânsito e pelo aquecimento doméstico, podem provocar asma, problemas cardiovasculares, cancro do pulmão e morte prematura, lembra a Comissão Europeia.


O processo por infracção tem início com uma primeira advertência escrita (“carta de notificação”) dirigida ao Estado-membro em causa e à qual este deve responder no prazo de dois meses. Se a Comissão não considerar a resposta satisfatória, esta primeira carta é seguida de uma última advertência escrita (“parecer fundamentado”) que expõe claramente a infracção e insta o Estado-membro a agir em conformidade num determinado prazo, normalmente de dois meses.


Se o Estado-membro não proceder em conformidade com o parecer fundamentado, a Comissão pode decidir recorrer ao Tribunal de Justiça.


Ora adivinhem lá qual é o local com maiores níveis de poluição por partículas PM10, no qual os valores-limite têm sido sistematicamente ultrapassados nos últimos anos?

Porque hoje é dia do pai...

...e pela primeira vez estou do "outro lado".

Só acho estranho mais ninguém ter reparado nisto

Paulo Santos, no Cachimbo de Magritte:


"Há algo no PEC que me incomoda seriamente, mas tenho visto pouco comentado. Esse algo é a opção por cortar nominalmente prestações sociais, mas não mexer nos salários da função pública. De facto, o PEC fala em colocar limites ao RSI (que não se disputa ser algumas vezes mal atribuído), fala também de rever a relação entre o salário líquido e a prestação do subsídio de desemprego (rever, entende-se, em baixa), fala por fim em congelar nominalmente alguns tipos de prestações sociais (as não-contributivas) até 2013. E o que diz dos salários da Função Pública? Diz que serão "congelados" ... em termos reais. Congelados em termos reais é sinónimo de admitir que ainda podem subir em termos nominais. É também sinónimo de não sofrerem qualquer corte. Acho perfeitamente incrível que o Estado Português tenha escolhido cortar na sua função social, antes de cortar nos salários da sua estrutura."


Pois é... Os pensionistas e os desempregados não berram tão alto (nem descem a Av. Liberdade), e certamente não votam em massa. Afinal o estado existe para servir as pessoas (e cumprir a sua função social mais básica), ou apenas para servir quem para ele trabalha? Ainda para mais sabendo-se que os salários mais altos pagos na função pública ascendiam no final do ano passado a 3.364 euros mensais, quase oito vezes mais que os 450 euros pagos a outros funcionários do Estado.

Nenhum Partido Socialista poderia alguma vez concordar com uma medida deste tipo. No entanto, está mais que visto que este PEC é unicamente para agradar ao FMI e aos nossos credores (que no fundo, já são quem manda nas nossas contas... é o que dá ficar a dever muito dinheiro aos outros). Aliás, suspeito que daqui a uns tempos iremos ficar a saber que a redacção do documento nem sequer teve a mão do governo...

quinta-feira, 18 de março de 2010

Prédio no Largo do Rato

O Arqt.º Manuel Aires Mateus merece-me todo o respeito. Contudo, não consigo perceber como é que lhe passa pela cabeça que, tendo criado um edifício extremamente bonito, cujo fim não é habitação (e já agora, com uma envolvente específica),

Reitoria da Universidade Nova de Lisboa, Campus de Campolide. Prémio Valmor 2002


Se julgue no direito a repetir o molde, projectando este mono para o Largo do Rato, já de si um dos locais urbanisticamente mais maltratados da cidade de Lisboa...

Proposta de imóvel projectado por Manuel Aires Mateus e Frederico Valsassina para o Largo do Rato

Pearl Jam - Just Breathe (Live at Austin City Limits)

Para ouvir em repeat até ao dia 10 de Julho ;)



Roubado daqui.

quarta-feira, 17 de março de 2010

Não é fácil.

Há uns dias foi publicada no Diário Digital uma notícia acerca da criação de um portal exclusivamente vocacionado para a publicação de notícias positivas:

O portal BoasNotícias.pt, com cariz informativo, vai estar online a partir desta segunda-feira e terá como elemento diferenciador o facto de se debruçar somente sobre notícias de conteúdo positivo.
O site visa contrariar «a corrente de informação negativa que predomina nos meios de comunicação social», reafirmando que, diariamente, «há acontecimentos positivos que merecem ser destacados com rigor, qualidade e isenção», segundo o divulgado em comunicado.



Tendo em conta que hoje (dia 17/3) o site continua assim,


Concluo que não deve ter havido qualquer boa notícia nos últimos 2 dias :)

Actualização: Os autores do site devem ter cá vindo visitar-nos, pois entretanto o portal já se encontra em funcionamento.

terça-feira, 16 de março de 2010

Começa já daqui a pouco


Às 23h20, no AXN.

segunda-feira, 15 de março de 2010

La Traviata...

De Giuseppe Verdi, pela Ópera Estatal Russa de Rostov
Local: Coliseu dos Recreios
Data: Domingo, 14 de Março de 2010


Apesar da acústica do Coliseu estar longe de favorecer uma ópera, alguns momentos deixaram-me com os cabelos da nuca arrepiados e o coração a bater mais rápido!!

sexta-feira, 12 de março de 2010

Ora nem mais

Uma das primeiras palavras de ordem de que me lembro, de miúda, é "os ricos que paguem a crise". Nos últimos dias tenho ouvido com mais frequência "a classe média que pague a crise". E está mal. Quem tem de pagar a crise são os chico-espertos, sejam eles ricos, classe média, remediados ou pobres.


Eu explico. Quem tem de pagar a crise é o caramelo que em vez de se pré-reformar negoceia com a empresa uma saída (com indemnização), e depois vai receber o subsídio de desemprego, enquanto espera pelo prazo da reforma. Este gajo vai a entrevistas de emprego (que não quer), porque a isso é obrigado pelo centro de emprego. Não só anda a chular o estado (portanto, nós todos), como anda a fazer perder o tempo a recursos que deveriam estar ocupados com coisas mais produtivas e construtivas.


Quem tem de pagar a crise é a cabra que tem o exacto número de filhos que lhe garanta a subsistência com base no abono de família e de outros incentivos à natalidade, enquanto o marido (marido não, que se forem casados o esquema não funciona), o "pai dos filhos" usufrui do rendimento mínimo. E não fazem um boi, porque não querem.


Quem tem de pagar a crise é a senhora que é fraca dos nervos, e que está de baixa há 10 anos (enquanto vai fazendo a sua vidinha de reformada), e que no dia em que se pode reformar, deixa o trabalho (onde não ia há 10 anos e onde provavelmente já não a conhecem nem se lembram dela) e reforma-se e continua a fazer a mesma vidinha.


Quem tem de pagar a crise é o gajo que manda fechar a varanda e que paga em dinheiro, sem recibo, para ser mais barato, sem IVA.


Quem tem de pagar a crise é a besta que recebe dinheiro através de manigâncias e engenharias financeiras, para que os rendimentos não sejam apanhados no "radar".


Quem tem de pagar a crise é o gajo que recebe uma pipa de massa, mas como é dono da empresa, declara o salário mínimo.


E os exemplos podiam continuar, o português é um povo de chico-espertos, cheio de recursos, desenrascados, e eu tenho para mim que deviam ser estes a pagar a crise.


Não deviam ser os tansos que fazem a coisa não só de acordo com as regras, mas de acordo com a sua consciência.


E não me venham com as tretas das generalizações. Há-de haver muita gente a receber o rendimento mínimo que precisa de facto dele, e por cada exemplo negativo que dei, hão-de existir muitos no sentido inverso, mas a verdade é que toda a gente conhece casos deste tipo, que estão tão generalizados que já nem se estranham.


Mas, como sempre. quem vai pagar a crise, são os tansos. Os da mama, vão continuar a mamar.

Maria João, no Jonasnuts

quarta-feira, 10 de março de 2010

Pois. É mais ou menos isto.

Uma pessoa marca lugar na cervejaria do costume, em Alvalade, e senta-se já com o 1-0 marcado por um coxo chamado Bendtner. Com isto, as chamuças já vêm frias. Imperial atrás de imperial, golo atrás de golo. Imperdível, até eu e o Rui pedirmos a garrafa de Bushmills (minto: as garrafas, cada um a sua). Como o Nuno André Coelho não é trinco mas foi posto a trinco, tem de vir fazer o serviço dos centrais, dois bolbos traumatizados que têm dificuldade em mover-se, cada um deles responsável por seu golo. Ficamos sem trinco e continuamos sem centrais (no jogo com o Sporting, os centrais também estavam com fungos nas chuteiras). Há então um simpático cavalheiro de Torres Vedras que me pergunta, enquanto me relembra o FCPorto-Torreense no carnaval de 1999: «E qual o melhor lugar do Hulk?» Respondo como de costume: «No banco. Pelo menos durante 60 minutos e depois logo se vê.» Ali está ele, Hulk, uma espécie de halterofilista estrábico do Barco do Amor, a arrastar-se no convés, correndo atrás de um cozinheiro anão. O Micael está em baixo, ao nível de uma couve roxa cilindrada. Jesualdo acena que não, move o pescoço (um dia apanhará os tiques do Izmailov, com a desvantagem de não marcar golos). Falcao fez-me levantar duas vezes, menos de metade das vezes que Fucile me fez fechar os olhos, que só abri porque Helton estava entre os postes, e olha lá.
No fim (o fim, mesmo, foi a entrada de Guarín, o barbeiro exilado, e de Mariano, o empregado de mesa do Tortoni — e vocês perguntam «e quem querias tu que entrasse?», e eu digo «queria que entrasse o Cubillas, e talvez o Quaresma, e até o André, ou o Alenichev, ou em desespero o Emerson, com o Drulovic na esquerda, para não ir mais longe»), mas no fim, ia eu a dizer, parece que Jesualdo falou com ar de catedrático em sabática, como se tivesse sido desconsiderado pelo Arsenal. A televisão estava sem som mas deu para perceber que não apresentou a demissão porque um homem é um homem é um homem, nem — como os antigos — se atirou ao chão a rasgar o anoraque. Recebi uma mensagem a dizer «puta que os pariu», era o que me apetecia dizer e percebo, pelos rodapés da SporTV, que o Micael-couve-roxa e o Meireles-alface-Batávia falam de não sei quê e levantar a cabeça, e assim, dar a volta por cima. Mas eu acho que daí até ao fim ainda vamos dar a volta por baixo. Isto lembra-me qualquer coisa. Não estou desanimado, longe disso, mas isto lembra-me qualquer coisa. Razão tinha o outro, «que ganhe o pior», mas nem assim.

Francisco José Viegas, n'A origem das espécies.

sexta-feira, 5 de março de 2010

Estatísticas

quinta-feira, 4 de março de 2010

Uma novidade

Um influente académico muçulmano emitiu uma fatwa... Contra o terrorismo e os atentados suicidas. Tomara que outros lhe sigam o exemplo.

segunda-feira, 1 de março de 2010

Cidadania e Desenvolvimento, na primeira pessoa

video


Excerto de um vídeo que será apresentado pelo IPAD no âmbito da próxima edicção d' Os Dias do Desenvolvimento.