segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Sem vergonha


Anda tudo entretido com escutas e outros fait-divers, e ninguém clama contra coisas como esta:

Os presidentes da Refer, da CP e de pelo menos mais uma sociedade pública de transportes terão pago com o cartão de crédito da empresa os almoços de 50 gestores públicos daquele ramo, a 23 de Outubro, durante uma homenagem à então secretária de Estado dos Transportes, a socialista Ana Paula Vitorino.

ALGUÉM EXPLIQUE A ESTES SENHORES QUE O DINHEIRO DE EMPRESAS PÚBLICAS NÃO É PROPRIEDADE DELES PARA GASTAREM A SEU BEL PRAZER EM ALMOÇOS... Perdeu-se a vergonha! A atitude de quem governa a causa pública está descaradamente à vista, e não é bonita: é fartar vilanagem, e vão sacar até que já não sobre nada...

Quanto ao estado de coisas neste país, só posso concordar com André macedo, no seu editorial de hoje no I

"É triste, mas em todos estes anos de democracia os responsáveis políticos não se revelaram à altura das exigências. Não souberam gerir a coisa pública com rigor e seriedade. Quiseram interferir. Favoreceram e promoveram os amigos. Não deixaram outra alternativa senão a inevitabilidade de uma varredela de cima a baixo. Nestes dias de sucata, o país está de novo confrontado com o inevitável: deve deixar de ter um banco público, sair das telecomunicações, da energia e das dezenas de actividades onde só distorce a concorrência. Deve privatizar, porque não é pessoa de bem."

3 comentários:

maria inês disse...

pense bem no que escreve. aonde é que está a fronteira entre o pessoal e da empresa (neste caso)?
fundamentalismo não é só religioso... mesquinho.

Pedro Gomes disse...

Acho que quem tem de pensar bem no que escreveu é a Maria Inês. Não a escandaliza que se use o dinheiro de empresas públicas (isto é, de todos nós) para pagar almoços? Sabe que a responsabilidade da gestão do dinheiro dos contribuintes obriga a alguma parcimónia nos gastos, ou não? O problema é mesmo achar isto normal. O seu comentário deixou-me literalmente banzado...

Simplício Simplório disse...

Pois, e depois basta entrar numa estação ou comboio da CP para se ver como o dinheirinho gasto por esses sabujos seria tão precioso.
A solução de privatizar também não é válida, até porque vem sendo provado e bem provado que 99% dos privados também não são pessoas de bem. Últimamente tem ficado bem demonstrado o que é que alguns privados têm feito com o dinheiro dos contribuintes...

Cumptos.