sexta-feira, 21 de agosto de 2009

Nem mais!

Ter um crescimento económico robusto não garante que estamos a viver melhor. Bater com o carro faz aumentar o PIB

Num artigo publicado em Abril deste ano, o professor Dowbor sustenta as suas teses ecologistas com o seguinte argumento: "O essencial é que [...] técnicos de primeira linha nacional e internacional estão cansados de ver o comportamento económico ser calculado sem ter em conta - ou só parcialmente - os interesses da população e a sustentabilidade ambiental. Como pode dizer-se que a economia vai bem ainda que o povo vá mal? A economia serve para quê?" Dowbor defende, em alternativa, meios que complementem a medição da riqueza material, que consigam avaliar a felicidade interna bruta.

Notícia completa aqui.

2 comentários:

Pedro Gomes disse...

Li há tempos um artigo acerca das limitações do PIB como medida de crescimento económico e bem-estar social, que me pareceu mais interessante do que este.

Se quiseres espreitar vai aqui:

G.D.P. R.I.P.

Pedro Gomes disse...

Falta o link:

http://www.nytimes.com/2009/08/10/opinion/10zencey.html?pagewanted=1&_r=2&ref=opinion