segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

Imparcialidade

Estava agora a conversar com uma amiga, casada com um professor, que se insurgia contra a colocação durante quatro anos deste numa escola. Eu não conseguia discordar com esta medida pois trás estabilidade para os alunos e até mesmo para o professor que deixa de andar em mudanças todos os anos. No entanto não conseguimos chegar a consenso por uma razão muito simples, ela era parcial e via a questão única e exclusivamente na sua perspectiva conformista que o marido poderia ser colocado longe de casa.
A (im)parcialidade é um sério problema actualmente.
Num mundo cada vez mais globalizado a maior parte das noticias a que temos acesso chegam-nos através de filtros que as polarizam. É cada vez mais difícil chegar a conclusões e tentar manter-se imparcial.
Vejamos, por exemplo, a questão da actual ofensiva na Faixa de Gaza. Temos noticias e crónicas que são moldadas para defender uma ou outra facção.
Objectivamente o Estado de Israel é culpado de Terrorismo de Estado enquanto o Hamas é culpado de Terrorismo. Poderia passar o resto do dia a escrever sobre isso mas não se chegaria a conclusão alguma. O maior culpado continuam, na minha perspectiva, a ser os EUA que nunca permitiram que a ONU tomasse nenhuma medida que punisse Israel.

6 comentários:

Pedro Gomes disse...

Quanto mais próximos estamos de um problema/conflito menos imparciais conseguimos ser, pois a emoção tende a sobrepor-se à razão. É uma tese há muito defendida e demonstrada.

Henrique Gomes disse...

Bem verdade! Eu por cá tenho sentido muita dificuldade em manter-me imparcial ;-)

É berro e mais berro!

Cumps aos meus caros colegas de blogue.

mgraça disse...

Pois!! Ms não existe razão sem 'coração'...

Sara SC disse...

Por isso mm se torna impossível concretizar totalmente os conceitos de imparcialidade, justiça e afins...é a condição humana!

Pedro Gomes disse...

Rui: Em relação ao conflito Israelo-Palestiniano, recomendo-te um execrcício razoavelmente eficaz: primeiro vês o noticiário da CNN, depois o da Aljazeera (ou vice-versa). No meio estará a virtude...

Pipa disse...

Afastando-me do tema do post que é a imparcialidade, acho que o que a tua amiga disse não é totalmente absurdo (visto que não é raro), é somente desadequado aos dias de hoje. Visto que não sobejam empregos (ainda por cima no ensino), parece-me que já ninguém se pode importar se tem de ir para "trás-dos-montes" ou além fronteiras para ter algum ao fim do mês. Se ela tem a sorte de poder alterar o local de trabalho para onde quer que ele fique colocado e não vê isso como uma coisa positiva, parece-me que não está a ver "the big picture".