sexta-feira, 27 de junho de 2008

O meu irmão é filho único



Ontem fomos ver este filme, vencedor de 5 prémios Donatello, que conta a história de dois irmãos, Accio e Manrico, que crescem numa pequena cidade Italiana, no seio de uma família humilde, durante as décadas de 60 e 70, um período de intensa agitação sócio-económica no país.

Manrico, o irmão mais velho, é carismático, daquelas pessoas que todos amam e admiram independentemente das suas escolhas, enquanto Accio, pelo contrário, é encarado como o caçula problemático, impulsivo e conflituoso, a quem todos dão pouca credibilidade. Accio cresce sob um sentimento de injustiça e os dois irmãos vivem desde cedo num constante conflito, que atinge a sua expressão mais óbvia nas opções políticas distintas de ambos: Manrico é um membro activo do movimento comunista e Accio filia-se no partido fascista.

Ao longo do filme, a vida destes dois irmãos vai-se desenrolando, plena de confrontos, mas onde se entende claramente que muito mais é o que os une, do aquilo que os separa (isto soa-me a uma canção qualquer…peço desculpa pelo plágio)!

Gostei bastante do filme! Conheço pouco do cinema italiano actual mas este foi um excelente cartão de visita! Recomendo! Em exibição nos cinemas King e Monumental.

5 comentários:

grao_de_po disse...

bom, já disseste tudo =)
podes escolher mais, que tens o filtro apurado.

Pedro Gomes disse...

Também gostei. Sarita, só faltou aí a incontornável referência à "desfascização" da 9ª Sinfonia de Beethoven, em pleno Maio de 68 :)

Sara SC disse...

Sp às ordens, meus caros =)
ps - n sei se Beethoven gostaria mt de ser "desfascizado" daquela maneira =P

ccunha disse...

Ora cá estou eu!!!
:D
Custou mas foi... vim devagarinho que o gasóleo está caro!!!

Abraham disse...

não deixem de ver o segredo do cuscuz